USP e Universidade de Surrey realizam em julho o “Paper Development Workshop – Resetting sustainable development goals”

Flyer_WorkshopUSP&SurreyEstá aberta a chamada de trabalhos, até o dia 20 de junho de 2020, para o “Paper Development Workshop – Resetting sustainable development goals: Implications for management research and practice”, que será realizado online, no dia 30 de julho de 2020.

O evento contará com a participação de líderes acadêmicos e membros editoriais de revistas de gestão, tais como: Dr. Martin Schleper (International Journal of Operations and Production Management); Dr. Itziar Castello (Business & Society); Prof. Thomas C. Lawton (Long Range Planning); Prof. Cory Searcy (Journal of Business Ethics); Dr. Cecilia Almeida (Journal of Cleaner Production); Prof. Jeremy Hall (Journal of Engineering and Technology Management).

Este workshop é parte do projeto de pesquisa “UN´s Sustainable Development Goals: Embracing tensions and synergies in sustainability grand challenges indicators”, apoiado pela University Global Partnership Network (UGPN), e é organizado pelos pesquisadores: Stelvia Matos, Stephen Morse e Mercio Cerbaro (Universidade de Surrey), Marly Monteiro de Carvalho (POLI-USP), Flavio Hourneaux Junior e Patricia Taeko (FEA-USP).

Para visualizar a chamada completa, acesse: bit.ly/3e5TQsJ.

Mais informações: pro.poli.usp.br/uspsurrey

Webinar | Cursos de especialização USP/FCAV convidam: Economia de Empresas

Webinar CEAINo dia 21 de maio, das 19h às 20h, será realizado o Webinar da série “Conectados pelo Conhecimento” sobre Economia de Empresas, ministrado pelo Prof. Dr. João Amato Neto, docente do Depto. de Engenharia de Produção da Escola Politécnica da USP e Presidente da Diretoria Executiva da Fundação Vanzolini.

Este webinar tem como objetivo oferecer aos participantes um referencial básico sobre os principais aspectos relacionados à Teoria Econômica, assim como sobre questões práticas da realidade, abordando, principalmente, tópicos da ”microeconomia” (oferta, procura, mercados, produção, custos, formação de preço, etc.), como também alguns ”aspectos macroeconômicos” (renda, consumo, poupança, investimento, emprego, recessão,inflação, déficit público, etc.), que afetam diretamente a vida das empresas, do Estado (governos) e do público em geral.

O evento é organizado pelos Cursos de Especialização do PRO (EP-USP), operacionalizados pela Fundação Vanzolini.

Link para inscrições: http://twixar.me/Q33m

Mais informações sobre os cursos: https://vanzolini.org.br/tipo/pos-graduacao/

USP abre inscrições para a quarta turma do curso de Atualização em Psicodinâmica do Trabalho

Curso de Atualização em Psicodinâmica do TrabalhoEstão abertas as inscrições, até o dia 29 de julho de 2020, para a quarta turma do Curso de Atualização em Psicodinâmica do Trabalho. Promovido pelo Departamento de Engenharia de Produção da Escola Politécnica da USP, com o apoio da Fundação Carlos Alberto Vanzolini, o curso é coordenado pelo Prof. Dr. Laerte Idal Sznelwar (EP-USP) e conta com a participação dos Profs. Drs. Selma Lancman e Juliana de Oliveira Barros (FM-USP) e Seiji Uchida e Claudio Brunoro (Instituto Trabalhar).

O curso é voltado para profissionais interessados nas questões relativas à saúde e trabalho, à psicologia, à engenharia de produção, à administração e gerenciamento, de todos os setores. Possui como objetivos capacitar os participantes na compreensão dos conceitos e modalidades de ação da psicodinâmica do trabalho e ajudar a compreender os desafios relacionados com as modalidades de organização do trabalho e da avaliação de desempenho e a construção da saúde mental, do caminho em direção à realização de si, ao reforço do trabalho coletivo e do desenvolvimento das profissões.

O curso ocorrerá às quartas-feiras, das 18h30 às 22h30, de 05 de agosto de 2020 a 09 de junho de 2021 (periodicidade: quinzenal). O valor total do curso é de R$5.750,00. Mais informações estão disponíveis no site da Fundação Vanzolini (clique aqui). O certificado será emitido pela Universidade de São Paulo.

PRO realiza palestra online sobre Iniciação Científica

Palestra ONLINE sobre Iniciação CientíficaNo dia 15 de maio de 2020, das 14h às 15h, será realizada a “Palestra online sobre Iniciação Científica”, organizada pela Comissão de Pesquisa do Departamento de Engenharia de Produção (PRO) da Poli-USP.

O evento será uma oportunidade para que os interessados tirem suas dúvidas e conheçam as possibilidades de atuação em grupos de pesquisa do PRO.

A palestra será realizada na plataforma Google Meet, através do link: https://meet.google.com/rpe-bowd-tfu. Os participantes devem efetuar o login utilizando o email (@usp.br) com o microfone e câmera desativados.

Em caso de dúvidas, entrar em contato com Sara Lima (sara.o.lima@usp.br).

POLI-USP realiza curso de difusão sobre Bibliometria em julho

Curso de Bibliometria - Julho 2020No dia 23 de julho de 2020, das 8h às 17h, o Departamento de Engenharia de Produção da POLI-USP realiza o curso de difusão “Bibliometria: Teoria e Prática”. Coordenado pela Profa. Dra. Marly Monteiro de Carvalho, o curso é ministrado pelos doutorandos Diego Honorato Clemente e Graziela Darla Araújo Galvão (PPGEP-USP) e voltado a estudantes de graduação e pós-graduação de quaisquer áreas do conhecimento que tenham interesse sobre o método bibliométrico.

 

A bibliometria tem sido uma técnica bastante difundida para realização da pesquisa acadêmica e com um grande potencial de publicação de seus resultados em periódicos de alto impacto. É útil na formação desde alunos de graduação, na fase de monografia, até mestrado e doutorado.

 

O objetivo do curso é difundir os conhecimentos sobre a aplicação do método bibliométrico, sendo utilizados em aula os softwares VosViewer e Ucinet. Além de uma introdução teórica sobre a bibliometria, o curso enfatiza a prática através das etapas para realizar uma análise bibliométrica: (i) processo de amostragem e busca nas bases científicas, (ii) extração de dados e arquivamento e (iii) análises descritivas e de redes sociais. Ao final do curso, o participante estará apto a realizar todas as etapas da bibliometria.

 

As inscrições para o curso ocorrem até o dia 16 de julho de 2020, através deste link. Para o processo de seleção, são necessários o preenchimento da ficha de inscrição e a apresentação do currículo profissional. Haverá uma análise curricular prévia para avaliar se o estudante está apto a realizar o curso. O investimento é de R$ 370,00.

 

Para mais informações, entre em contato com a Secretaria de Cursos da Fundação Vanzolini (E-mail: secretariausp@vanzolini.com.br).

INOVALAB@POLI participa da produção de protetores faciais para profissionais de saúde

Protetor facial – Foto: Poli e FAU – USP

Protetor facial – Foto: Poli e FAU – USP

Em tempos de pandemia da covid-19, e visando a colaborar com os profissionais que atuam na área da saúde, pesquisadores da USP estão se dedicando à produção de protetores faciais que são usados por médicos, enfermeiros e demais profissionais da área da saúde.

O protetor facial é um equipamento que garante maior segurança aos profissionais quando colocado sobre a máscara normalmente usada por eles. Em geral, é composto de um suporte plástico e de um visor transparente, que em geral é feito com uma folha de acetato.

Uma das iniciativas vem sendo desenvolvida na Faculdade de Odontologia (FO) em parceria com a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Lá, os pesquisadores já conseguiram produzir e entregar a unidades hospitalares mais de 7 mil unidades de protetores. Segundo a dentista Mayra Torres Vasques, que coordena o projeto na FO, a ideia partiu de um grupo de amigos e chegou à unidade da USP pela disposição de alunos, funcionários e docentes em colaborar. E o projeto foi, então, iniciado no último dia 20 de março. Na Unifesp, quem está à frente é a professora Maria Elizete Kunkel.

Design gratuito

O primeiro passo, segundo Mayra, foi confeccionar um desenho digital dos protetores seguindo à risca as normas da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A partir disso, os suportes plásticos dos protetores faciais começaram a ser confeccionados nas impressoras 3D da FO.

Como a unidade não daria conta de uma produção em maior quantidade, o desenho foi disponibilizado gratuitamente a interessados que tivessem condições de imprimir em 3D o suporte plástico. Dentre os colaboradores estão pessoas comuns e representantes da indústria, que passaram a produzir o material em suas casas ou empresas. “Ao todo, já temos mais de mil colaboradores em todo o Brasil”, contabiliza a coordenadora. Daí o projeto ter conseguido fabricar mais de 7 mil unidades no País. Para o HU, segundo Mayra, até o momento foram entregues 30 unidades. “Mas a expectativa é aumentarmos esses números”, conta a coordenadora.

O suporte que compõe o protetor leva cerca de uma hora para ser impresso. Em seguida, é acoplada a folha de acetato devidamente recortada. “No início estávamos usando folhas em tamanho A4. Agora, seguimos as dimensões recomendadas pela Anvisa”, informa Mayra, lembrando que um dos problemas “está na obtenção destas folhas de acetato”.

De acordo com Mayra, o custo estimado de produção de cada protetor fica em torno de R$ 3 a R$ 4, mas ela reforça que todos serão doados a unidades hospitalares. “Queremos manter a produção enquanto durar a pandemia. Lá no Rio Grande do Sul já temos uma parceria sólida com uma empresa. Estamos buscando parcerias semelhantes aqui em São Paulo também. Nosso objetivo é atingir a produção de 3 a 4 mil unidades por dia”, diz a coordenadora. Os interessados em colaborar podem obter mais informações no site www.projetohigia.com.br.

Inova USP, Poli e FAU

Outra iniciativa que tem os mesmos objetivos conta com a parceria entre o Inova USP, a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) e a Escola Politécnica (Poli), congregando docentes e alunos.

O Inova USP é um centro que visa a agregar e integrar laboratórios e diversas iniciativas. A demanda urgente de protetores faciais na linha de frente de atendimento aos pacientes com o novo coronavírus chegou ao Inova USP, que procurou articular uma iniciativa emergencial para ampliar a proteção dos profissionais de saúde. A articulação envolveu alguns laboratórios da USP com impressoras 3D e recursos de prototipagem. Na Poli, a produção foi iniciada na Oficina do Inovalab@Poli, localizada no Departamento de Engenharia de Produção, com a coordenação do professor Eduardo Zancul. Os contatos na FAU foram feitos com a professora Cristiane Aun Bertoldi, do Departamento de Projeto na área de Design da FAU.

A produção foi iniciada com projetos abertos (open source, que podem ser acessados por qualquer um) do protetor facial, com a intenção de aperfeiçoá-los para acelerar a produção. “Esses projetos já haviam sido aprovados por médicos das unidades hospitalares universitárias do Rio de Janeiro e de São Paulo”, conta Cristiane. Num primeiro momento, foi solicitada à FAU projeto de modelos de protetores e a confecção por meio das impressoras 3D de seus laboratórios. “Posteriormente, como apareceram alguns pequenos problemas, como o tempo de confecção de um protetor, que é de cerca de uma hora, começamos a trabalhar no aperfeiçoamento do projeto”, conta a professora. No projeto atual desenvolvido por Cristiane, e que será disponibilizado gratuitamente, já não são mais usadas as impressoras 3D. “A montagem é feita com componentes de nylon, o que agiliza a produção”, diz a professora.

Segundo Zancul, na primeira semana do projeto foram confeccionados 40 protetores faciais, sendo que 39 foram entregues ao Hospital das Clínicas (HC) da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP) . “Nesta segunda semana queremos confeccionar 900 unidades com um projeto de produção otimizada desenvolvido na FAU pela professora Cristiane e equipe”, releva o docente da Poli, ressaltando que “o projeto foi avaliado no HC e recebeu indicação positiva”. Seguindo o planejamento, na segunda-feira, dia 6 de abril, as primeiras 300 unidades foram finalizadas e enviadas ao HC. Em relação a custos, o professor lembra que é difícil estimar, visto que boa parte dos materiais é doada. Os recursos de fabricação são da própria USP e a mão de obra de montagem vem sendo feita por técnicos e alunos bolsistas e voluntários, que participam motivados para ajudar a proteger os profissionais de saúde.

Em rápida evolução, a equipe envolvida trabalha agora para articular o fornecimento empregando processos de fabricação em alta escala de produção integrando empresas, fornecedores de matéria-prima e a logística de distribuição.

Texto elaborado por Antonio Carlos Quinto – Jornal da USP (link original: clique aqui).