INOVALAB@POLI participa da produção de protetores faciais para profissionais de saúde

Protetor facial – Foto: Poli e FAU – USP

Protetor facial – Foto: Poli e FAU – USP

Em tempos de pandemia da covid-19, e visando a colaborar com os profissionais que atuam na área da saúde, pesquisadores da USP estão se dedicando à produção de protetores faciais que são usados por médicos, enfermeiros e demais profissionais da área da saúde.

O protetor facial é um equipamento que garante maior segurança aos profissionais quando colocado sobre a máscara normalmente usada por eles. Em geral, é composto de um suporte plástico e de um visor transparente, que em geral é feito com uma folha de acetato.

Uma das iniciativas vem sendo desenvolvida na Faculdade de Odontologia (FO) em parceria com a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Lá, os pesquisadores já conseguiram produzir e entregar a unidades hospitalares mais de 7 mil unidades de protetores. Segundo a dentista Mayra Torres Vasques, que coordena o projeto na FO, a ideia partiu de um grupo de amigos e chegou à unidade da USP pela disposição de alunos, funcionários e docentes em colaborar. E o projeto foi, então, iniciado no último dia 20 de março. Na Unifesp, quem está à frente é a professora Maria Elizete Kunkel.

Design gratuito

O primeiro passo, segundo Mayra, foi confeccionar um desenho digital dos protetores seguindo à risca as normas da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A partir disso, os suportes plásticos dos protetores faciais começaram a ser confeccionados nas impressoras 3D da FO.

Como a unidade não daria conta de uma produção em maior quantidade, o desenho foi disponibilizado gratuitamente a interessados que tivessem condições de imprimir em 3D o suporte plástico. Dentre os colaboradores estão pessoas comuns e representantes da indústria, que passaram a produzir o material em suas casas ou empresas. “Ao todo, já temos mais de mil colaboradores em todo o Brasil”, contabiliza a coordenadora. Daí o projeto ter conseguido fabricar mais de 7 mil unidades no País. Para o HU, segundo Mayra, até o momento foram entregues 30 unidades. “Mas a expectativa é aumentarmos esses números”, conta a coordenadora.

O suporte que compõe o protetor leva cerca de uma hora para ser impresso. Em seguida, é acoplada a folha de acetato devidamente recortada. “No início estávamos usando folhas em tamanho A4. Agora, seguimos as dimensões recomendadas pela Anvisa”, informa Mayra, lembrando que um dos problemas “está na obtenção destas folhas de acetato”.

De acordo com Mayra, o custo estimado de produção de cada protetor fica em torno de R$ 3 a R$ 4, mas ela reforça que todos serão doados a unidades hospitalares. “Queremos manter a produção enquanto durar a pandemia. Lá no Rio Grande do Sul já temos uma parceria sólida com uma empresa. Estamos buscando parcerias semelhantes aqui em São Paulo também. Nosso objetivo é atingir a produção de 3 a 4 mil unidades por dia”, diz a coordenadora. Os interessados em colaborar podem obter mais informações no site www.projetohigia.com.br.

Inova USP, Poli e FAU

Outra iniciativa que tem os mesmos objetivos conta com a parceria entre o Inova USP, a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) e a Escola Politécnica (Poli), congregando docentes e alunos.

O Inova USP é um centro que visa a agregar e integrar laboratórios e diversas iniciativas. A demanda urgente de protetores faciais na linha de frente de atendimento aos pacientes com o novo coronavírus chegou ao Inova USP, que procurou articular uma iniciativa emergencial para ampliar a proteção dos profissionais de saúde. A articulação envolveu alguns laboratórios da USP com impressoras 3D e recursos de prototipagem. Na Poli, a produção foi iniciada na Oficina do Inovalab@Poli, localizada no Departamento de Engenharia de Produção, com a coordenação do professor Eduardo Zancul. Os contatos na FAU foram feitos com a professora Cristiane Aun Bertoldi, do Departamento de Projeto na área de Design da FAU.

A produção foi iniciada com projetos abertos (open source, que podem ser acessados por qualquer um) do protetor facial, com a intenção de aperfeiçoá-los para acelerar a produção. “Esses projetos já haviam sido aprovados por médicos das unidades hospitalares universitárias do Rio de Janeiro e de São Paulo”, conta Cristiane. Num primeiro momento, foi solicitada à FAU projeto de modelos de protetores e a confecção por meio das impressoras 3D de seus laboratórios. “Posteriormente, como apareceram alguns pequenos problemas, como o tempo de confecção de um protetor, que é de cerca de uma hora, começamos a trabalhar no aperfeiçoamento do projeto”, conta a professora. No projeto atual desenvolvido por Cristiane, e que será disponibilizado gratuitamente, já não são mais usadas as impressoras 3D. “A montagem é feita com componentes de nylon, o que agiliza a produção”, diz a professora.

Segundo Zancul, na primeira semana do projeto foram confeccionados 40 protetores faciais, sendo que 39 foram entregues ao Hospital das Clínicas (HC) da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP) . “Nesta segunda semana queremos confeccionar 900 unidades com um projeto de produção otimizada desenvolvido na FAU pela professora Cristiane e equipe”, releva o docente da Poli, ressaltando que “o projeto foi avaliado no HC e recebeu indicação positiva”. Seguindo o planejamento, na segunda-feira, dia 6 de abril, as primeiras 300 unidades foram finalizadas e enviadas ao HC. Em relação a custos, o professor lembra que é difícil estimar, visto que boa parte dos materiais é doada. Os recursos de fabricação são da própria USP e a mão de obra de montagem vem sendo feita por técnicos e alunos bolsistas e voluntários, que participam motivados para ajudar a proteger os profissionais de saúde.

Em rápida evolução, a equipe envolvida trabalha agora para articular o fornecimento empregando processos de fabricação em alta escala de produção integrando empresas, fornecedores de matéria-prima e a logística de distribuição.

Texto elaborado por Antonio Carlos Quinto – Jornal da USP (link original: clique aqui).

Webinar | Cursos de especialização USP/FCAV convidam: Equipes virtuais e o “novo normal”

No dia 28 de abril, das 18h às 19h, será realizado o webinar “Equipes virtuais e o «novo normal»”, ministrado pela professora Rachel Chang, orientadora do Curso de Especialização em Gestão de Projetos da USP-FCAV, docente do Senac e doutoranda em Administração pela Universidade de São Paulo.

Este webinar tem como objetivo discutir desafios e oportunidades na gestão de projetos com equipes virtuais, de forma a manter a motivação do time e alcançar resultados da equipe e do projeto.

O evento é organizado pelos Cursos de Especialização do PRO (EP-USP), operacionalizados pela Fundação Vanzolini.

Link para inscrições: https://lnkd.in/e2xHeRQ

Mais informações sobre os cursos: https://lnkd.in/dkV54g2

Bancas de Abril – PPGEP-USP (Doutorado)

Gestão de portifólio de inovação radical: em busca de uma abordagem organizacional multi-nível
Aluno: Vinícius Chagas Brasil
Data: 27/04/2020
Horário: 12h30
Local: DEFESA VIRTUAL (Informações sobre a transmissão: msalerno@usp.br)
Orientador: Mario Sergio Salerno

Comissão Julgadora:
Prof. Dr. Mário Sérgio Salerno – PRO
Prof. Dr. Jamie Patrick Eggers – New York University
Prof. Dr. Raoni Barros Bagno – UFMG
Profa. Dra.Marly Monteiro de Carvalho – PRO
Profa. Dra. Ana Paula Franco Paes Leme Barbosa – PRO


 

Avaliação de desempenho e seus impactos sobre o trabalho acadêmico
Aluno: Bruno Cezar Kawazi
Data: 15/04/2020
Horário: 8h30
Local: DEFESA VIRTUAL
Orientador: Laerte Idal Sznelwar

Comissão Julgadora:
Prof. Dr. Laerte Idal Sznelwar – PRO 
Prof. Dr. Mauro Zilbovicius – PRO
Prof. Dr. Seiji Uchida – FGV/SP
Prof. Dr. Francisco José de Castro Moura Duarte – UFRJ
Prof. Dr. Thomaz Wood Junior – FGV/SP

Nota de Falecimento: Prof. José Woiler

Prof. José Woiler

Prof. José Woiler

É com pesar que comunicamos o falecimento do Prof. José Woiler, docente aposentado do Departamento de Engenharia de Produção da Escola Politécnica da USP, ocorrido no dia 22/04/2020.

Graduado e Mestre em Engenharia de Produção pela Escola Politécnica da USP, obteve o título de “Master of Science in Engineering Management” pela Universidade de Stanford (EUA). Além de ter ministrado diversas disciplinas no PRO (Economia e Engenharia Econômica, Contabilidade e Custos, Princípios de Administração de Empresas, entre outras), foi consultor e diretor de empresas nacionais e multinacionais. Desde 2017, era membro do Conselho Fiscal da Fundação Vanzolini.

Nossos sinceros sentimentos aos familiares e amigos.

Poli USP abre inscrições para cursos de especialização (pós-graduação lato sensu) nas áreas de gestão e negócios

Pós Especialização Poli USPO Departamento de Engenharia de Produção da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (PRO/Poli-USP) está com inscrições abertas para quatro novas turmas dos cursos de Especialização (Pós-Graduação Lato Sensu com certificado USP) nas áreas de gestão e negócios. Com carga horária de até 412 horas, os cursos têm início previsto entre maio e agosto de 2020 (verificar abaixo as datas) e são operacionalizados pela Fundação Vanzolini, instituição mantida e gerida por professores deste departamento.

Diferenciais como o aumento da empregabilidade, reconhecimento profissional, senso empreendedor e desejo de redirecionamento de carreira são alguns dos principais motivos para fazer uma pós-graduação tornando seu currículo mais competitivo e apto a concorrer com vantagem em qualquer processo seletivo. O investimento em um curso de especialização evidencia o fato de que o indivíduo está disposto a aperfeiçoar e atualizar seus conhecimentos, destacando-se no mercado de trabalho atual.

A percepção de uma real necessidade ou demanda em seu campo de atuação e o conhecimento das modalidades e cursos ofertados são os fatores essenciais que compõem o momento ideal. Quando escolhida de forma consciente, a pós-graduação auxiliará o profissional em sua jornada até o cargo ou posição almejada. No entanto, quando mal planejada ou em desalinho com seus objetivos, será apenas uma linha a mais em seu currículo.

Além disso, cursar uma pós-graduação na USP agrega não apenas um peso para o currículo do especialista, mas proporciona uma visão de futuro e conhecimento profundo sobre o mercado da Engenharia de Produção. Ter a experiência de estudar na USP, portanto, é estar conectado com um universo de conhecimento capaz de proporcionar uma transformação na maneira de pensar e inovar, entregando para o mercado de trabalho uma postura de busca de melhorias inovadoras que se consolidam na carreira.

Conheça os cursos, certificados pela USP, ideais para sua carreira e transforme o seu futuro profissional:

Pós-graduação USP em Qualidade e Produtividade
Inscrições até: 05/05/2020 l Início em: 12/05/2020 | Horário: 3ª e 5ª feira – 19h30 às 22h30.

Pós-graduação USP em Gestão de Projetos
Inscrições até: 29/05/2020 l Início em: 05/06/2020 | Horário: 6ª feira das 19h30 às 22h30 e Sábado das 8h30 às 11h30.

Pós-graduação USP em Administração Industrial
Inscrições até: 04/05/2020 l Início em: 11/05/2020 | Horário: 2ª a 6ª feiras das 19h30 às 22h30 e Sábados das 8h10 às 14h30.

Pós-graduação USP em Logística Empresarial
Inscrições até 20/08/2020 l Início em: 27/08/2020 l Horário: 4ª e 5ª feiras das 19h às 22h20

Grupo de acolhimento da Poli realizará fórum online para trocas de experiências durante a quarentena

Desde o dia 17 de março, as atividades acadêmicas da Escola Politécnica (Poli) da USP estão sendo realizadas remotamente, devido à quarentena imposta pela pandemia da COVID-19. Para que alunos, professores e funcionários possam compartilhar suas vivências durante este período, o Grupo de Acolhimento da Poli irá promover um fórum de discussão, online, no dia 14 de abril, às 17h, para que os participantes possam compartilhar suas experiências acadêmicas, como estão estudando e lidando com a situação.

Para participar, é necessário se inscrever no link.

O professor do PRO Laerte Idal Sznelwar, um dos coordenadores do grupo de acolhimento e promoção da saúde da Poli, explica que esta ação pretende criar um momento de troca  e escuta, apesar de um tempo limitado, para que essas experiência inusitada possa ser enriquecedora, e que as mudanças positivas possam ter continuidade na universidade.

Texto elaborado pela Assessoria de Comunicação da Poli-USP (link original: clique aqui). 

Fundação Vanzolini comemora 53 anos de sua criação

53 anos FCAVO Departamento de Engenharia de Produção da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP) parabeniza a Fundação Vanzolini por seu aniversário de 53 anos.

Criada no dia 31 de março de 1967, a Fundação Vanzolini é uma instituição privada, sem fins lucrativos, criada, mantida e gerida pelos professores do PRO. Tem como objetivo principal desenvolver e disseminar conhecimentos científicos e tecnológicos essenciais à Engenharia de Produção, à Administração Industrial, à Gestão de Operações e às demais atividades relacionadas que realiza com total caráter inovador.

Ao longo desses anos, a instituição consolidou-se como um importante órgão de disseminação da Engenharia de Produção, tendo, inclusive, passado a ministrar cursos de especialização para a capacitação de profissionais, em convênio com a Escola Politécnica da USP. A atuação da Fundação Vanzolini foi além do campo da Educação Continuada, para crescer em áreas como Certificação, Gestão de Tecnologias em Educação e Projetos, nas quais tornou-se um grande centro de referência.

Mais informações: https://vanzolini.org.br/.

PRO Indica: Amigos da Poli e FAPESP lançam editais voltados ao desenvolvimento de pesquisas e projetos para o combate ao COVID-19

O Fundo Patrimonial Amigos da Poli lançou hoje, 27 de março, um Edital de Combate ao COVID-19, que receberá projetos até dia 4 de abril de 2020, às 23h59min, por meio do e-mail combatecovid@amigosdapoli.com.br. “Queremos ajudar o Brasil a atravessar esta crise com o menor impacto possível, e sabemos que a engenharia é um meio”. Mais informações: clique aqui.
 
Já a FAPESP lançou duas chamadas de propostas no valor de 30 milhões de reais para iniciativas de pesquisa ao combate da COVID-19 e estimular micro e pequenas empresas a desenvolver projetos que resultem em inovação tecnológica voltadas para o diagnóstico e tratamentos dos doentes. Mais informações: clique aqui.

Veja como fica o funcionamento do PRO durante a pandemia de Covid-19

A fim de facilitar a comunicação com nossos públicos, foi criada uma página no site do PRO com as informações sobre o funcionamento do departamento durante a pandemia de Covid-19 (realização de aulas online, eventos e atividades administrativas), além dos links para as orientações nos âmbitos da USP – Universidade de São Paulo e da Escola Politécnica da USP.

Esta página será diariamente atualizada. Fique de olho!

PRO-EPUSP - COVID-19

Professor Guilherme Ary Plonski é eleito diretor do Instituto de Estudos Avançados da USP

A chapa composta pelos professores Guilherme Ary Plonski e Roseli de Deus Lopes foi eleita, no dia 10 de março de 2020, para a direção do IEA no período 2020-2024. A chapa obteve 94 votos de integrantes do Colégio Eleitoral.

Plonski, diretor eleito, é o atual vice-diretor do Instituto e professor do Departamento de Engenharia de Produção da Escola Politécnica (EP) e da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA). Roseli, vice-diretora eleita, também é professora da EP.

Para disputar a eleição, Plonski e Roseli apresentaram o programa de gestão “Inovação, Excelência, Abertura”. A chapa foi a única a se candidatar para a direção do IEA.

Propostas

Em seu programa de gestão, eles propõem maior ênfase na missão acadêmica do Instituto como local de reflexão crítica, sensor de avanços na fronteira internacional do conhecimento e incubadora de ideias propositivas.

Também defendem que o Instituto incorpore uma plataforma de estudos para melhor compreensão do desafio global da disrupção tecnológica e elaboração de propostas sistêmicas para lidar com esse panorama.

Ainda dentro desse quadro, consideram que deve ser mantida a prioridade do tema Universidade em Transformação desenvolvido no IEA, de forma a discutir como a academia pode contribuir para que as sociedades lidem com alguns dos grandes desafios globais, como os riscos decorrentes da disrupção tecnológica e a crescente polarização no campo das ideias.

Perfis

Além de ser o atual vice-diretor, Plonski integrou o Conselho Deliberativo do Instituto por dois mandatos. Professor titular da FEA e professor associado da EP, ele é membro da Congregação do Instituto de Relações Internacionais (IRI) e vice-coordenador do Centro de Inovação da USP (Inova USP). Também presidiu o Instituto de Pesquisa Tecnológica (IPT).

Professora associada 3 da EP, Roseli é coordenadora de vários programas da Pró-Reitoria de Pesquisa e coordenadora geral da Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace), por ela concebida. Foi diretora da Estação Ciência e coordenadora acadêmica do programa A USP e as Profissões, ambos vinculados à Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária.

Realizada por meio de sistema eletrônico de votação e apuração, a eleição contou com a participação de atuais e ex-integrantes do Conselho Deliberativo; ex-diretores e ex-vice-diretores; diretores das unidades de ensino e pesquisa e representantes das respectivas congregações no Conselho Universitário; e também do presidente da Comissão de Pesquisa do IEA.

Texto elaborado pela Assessoria de Comunicação do Instituto de Estudos Avançados da USP (Link original: clique aqui).