Alunos do PRO desenvolvem projetos voltados para soluções de questões atuais do Brasil

Desenvolver a capacidade de compreender e abordar problemas amplos, em torno de temas atuais da sociedade e da economia brasileiras, identificando suas múltiplas determinações, em geral técnicas, econômicas, políticas, sociais, etc., e permitindo aos alunos exercitarem a capacidade crítica. Este é um dos principais objetivos da disciplina de graduação “Engenharia de Projetos Complexos do Desenvolvimento Brasileiro”, ministrada pelos professores Roberto Marx e Mauro Zilbovicius, no Departamento de Engenharia de Produção da Poli-USP.

Nesta disciplina, os estudantes são divididos em grupos, devendo selecionar um tema atual, de relevância no contexto brasileiro, para a realização de uma análise aprofundada de questões relativas a ele. Após o estudo e a definição de problemas e desafios, são elaboradas possíveis soluções para os pontos levantados, além de indicadores que auxiliam na escolha das melhores alternativas a serem implantadas.

Projetos desenvolvidos

Na turma do segundo semestre de 2016, diferentes assuntos foram abordados nos projetos realizados, entre eles: coleta seletiva, saúde e educação.

Na discussão sobre coletiva seletiva, os estudantes escolheram a cidade de São Paulo para a realização do estudo. Após dimensionar a questão, compreendendo que a solução para geração de grandes quantidades de resíduos envolve diferentes atores (cidadãos, órgãos públicos, empresas, cooperativas e catadores, por exemplo), foram propostas como soluções: o incentivo aos pontos de entrega voluntários, o aumento de investimentos voltados à coleta mecanizada e a penalização dos cidadãos que cometerem infrações no descarte de lixo.

Outro tema abordado pelos alunos foi a educação pública do Estado de São Paulo, focando em como as gestões administrativa e orçamentária deste sistema podem contribuir para a melhoria dos indicadores de qualidade e acessibilidade. Entre os casos estudados, está o das Charter Schools, realizado nos estados de Nova Iorque (EUA) e Pernambuco, que se baseia no financiamento público conforme o número de estudantes, na cogestão por uma instituição de ensino do setor privado, na maior autonomia em gestão de ensino e no ingresso de alunos com perfil de alto comprometimento escolar.

O Sistema Único de Saúde (SUS) também foi analisado por um dos grupos. Ao detectar que os principais problemas do SUS estão relacionados à baixa integração entre seus diferentes membros e a alta descentralização de suas atividades, foi sugerida a criação de um instituto central (nos moldes do INSS), permitindo a gestão integrada e a difusão de boas práticas, a definição de indicadores de eficiência e o foco na prevenção e no atendimento primário.

A realização destes projetos contribui para o aprimoramento da discussão sobre estas importantes temáticas, sendo relevante para a formação dos estudantes do curso de Engenharia de Produção, que exercerão futuramente atividades profissionais voltadas a elas nos diferentes setores econômicos e sociais. Mais informações sobre a disciplina, clique aqui.