Noite de celebração para os novos professores titulares da Poli-USP

No dia 22 de fevereiro de 2018, os dez novos professores titulares da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP) foram homenageados em uma sessão solene da Egrégia Congregação. Entre eles, a Profa. Dra. Marly Monteiro de Carvalho, do Departamento de Engenharia de Produção. Abaixo, alguns trechos do texto publicado no site da Escola Politécnica da USP sobre o evento (para ler o texto na íntegra, clique aqui).


Noite de celebração para os novos professores titulares da Poli-USP

Os dez novos professores titulares da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP) foram homenageados na noite de ontem (22/02) em uma sessão solene da Egrégia Congregação. Marcada por momentos de emoção, descontração e bom humor, a cerimônia foi realizada no Auditório do Prédio da Administração da instituição, e terminou com uma apresentação do Coral da USP e um coquetel oferecido aos participantes, a maioria familiares e amigos. (Confira no álbum da Poli no Flickr as fotos do evento.)

“Esses são os melhores entre os melhores. Parabéns”, cumprimentou o professor José Roberto Castilho Piqueira, diretor da Poli, ao abrir a cerimônia, logo após os homenageados terem sido conduzidos ao auditório pelo professor titular e decano da Congregação, Lucas Antonio Moscato. A seguir, a assistente Técnico Acadêmica da Poli-USP, Márcia Costa Pinto Barros, leu o Termo de Posse dos novos titulares.

Em uma apresentação descontraída e bem humorada, a professora Liedi Legi Bariani Bernucci, escolhida pela Diretoria para fazer a saudação em nome da Congregação, ressaltou a trajetória profissional de cada um dos professores titulares. Antecipando que iria alterar um pouco o protocolo, ela comentou que não se aprofundaria muito nos dados curriculares. “Os méritos acadêmicos de cada um deles foram exaustivamente testados e comprovados ao longo do concurso para professor titular”, disse.

Ela, então, inverteu a ordem do discurso, “para fazer um suspense”, como ela mesma afirmou, brincando. Primeiro, Bernucci pontuou alguns fatos relevantes das carreiras, inserindo depois informações mais pessoais nas saudações feitas a cada um dos docentes. Só depois revelava os nomes, promovendo uma espécie de jogo de adivinhação.

A professora Marly Monteiro de Carvalho, falou em nome dos novos titulares. Única representante do sexo feminino do grupo, fez um discurso emocionado e pontuado por uma reflexão sobre a evolução da inserção de mulheres, negros e pessoas vindas de classes de menor renda. “Quando entrei na Poli, 3.3% da turma era de mulheres, não havia negros e poucos eram de escola pública. Décadas depois, vejo o vídeo de nossas alunas que viralizou na internet e isso mostra que o cenário mudou pouco”, afirmou.

Ela pediu para que os professores imaginassem como seria a sala de aula de Engenharia do futuro. “Todos devem ter pensado que não podemos abrir mão do mérito, mas, além disso, gostaria de ver nessa sala um perfil de alunos bastante diversos. Gostaria de trazer a complexidade da diferenças para as mesas de projetos”, acrescentou.

Ela destacou também que o professor, nessa sala de aula do futuro, não terá o mesmo papel que exerce hoje. “Vejo mudanças vertiginosas no jeito de ensinar”, pontuou ela, enumerando as habilidades que deverão ser desenvolvidas pelos estudantes em salas de aula como a capacidade de se comunicar bem e trabalhar em grupo, de desenvolver o pensamento crítico e inovador e o comportamento empreendedor. “Mas, sobretudo, vejo a sala do futuro povoada de alunos brilhantes”, afirmou.

Texto elaborado pela Assessoria de Comunicação da Poli-USP.