Poli-USP realiza curso de extensão sobre capacidade de gestão da TI

Curso USP Capacidade de Gestão da TI 2018Entre os dias 19 de junho e 25 de fevereiro de 2018, estão abertas as inscrições para o curso de extensão “Capacidade de Gestão da TI”, realizado pelo Departamento de Engenharia de Produção da POLI-USP. O curso, coordenado pelo Prof. Dr. Renato de Oliveira Moraes, ocorrerá no primeiro semestre de 2018 (de 06 de março a 05 de junho de 2018), às terças-feiras, das 8h às 11h.

Voltado para professores de graduação que estejam lecionando em alguma Instituição de Educação Superior (IES) e portadores do título de mestre por um programa recomendado pela CAPES, o objetivo do curso é capacitar os alunos em relação ao tema, apresentando a sua origem, além da evolução e do estado da arte da produção acadêmica na área.

Também serão tratadas questões relacionadas à metodologia de pesquisa científica em gestão da TI para que os alunos sejam capazes de desenvolver um artigo científico sobre esta temática. Desta forma, o curso pretende contribuir para a maior inserção de professores universitários em eventos acadêmicos e outros fóruns de discussão da comunidade científica.

As inscrições serão realizadas através do e-mail: extensaopro@usp.br. Os documentos necessários para a inscrição são: Ficha de inscrição; Currículo Vitae atualizado; Carta explicando o interesse no curso; Para os professores de cursos de graduação, carta da IES certificando seu vínculo institucional; Para os que não são professores de graduação, cópia do título de mestre.

Mais informações e ficha de inscrição: clique aqui.

USP cria portal para dar suporte a ex-alunos

Lançado em 26 de outubro, o Portal Alumni foi criado para coletar informações a respeito de ex-alunos e oferecer suporte profissional. O Alumni disponibiliza atualmente três ferramentas para os usuários, e lançará uma nova versão na segunda quinzena de dezembro que contará com outros dois serviços. Além de reunir dados a respeito dos que já se formaram, o portal busca estimular a cultura de preservação para com a Universidade. Segundo dados do portal, essa cultura ainda não existe em todas as unidades da USP.

“A ideia foi formar um ambiente virtual para atrair os antigos alunos. Então nós começamos a pensar várias maneiras de como esse antigo aluno se sentiria atraído”, diz Marina Gallottini, coordenadora do escritório Alumni. A solução encontrada foi a criação de serviços disponíveis para o usuário a partir do portal. As ferramentas que a versão atual permite aos usuários cadastrados trocarem experiências sob a forma de mentoria (assim, um usuário com mais experiência pode oferecer aconselhamento profissional a outro), localizar outros ex-alunos que estejam próximos para que entrem em contato, e oferece também um endereço de e-mail da Alumni USP, caso o usuário deseje. A nova versão que será lançada em dezembro oferecerátambém a oportunidade de vagas de emprego e estágio a serem anunciadas somente dentro da comunidade Alumni (essa ferramenta será chamada balcão de oportunidades), e também possibilitará acesso aos documentos e dados digitais da USP através da VPN (Virtual Private Network) – atualmente, só podem utilizar o serviço de VPN aqueles que ainda não se formaram.

Dados obtidos pelo portal mostram que as unidades da USP que mais aderem ao Alumni, proporcionalmente, são a Escola de Enfermagem, o Instituto de Estudos Brasileiros (IEB), a Escola Politécnica, o Instituto de Matemática e Estatística (IME) e o Instituto Oceanográfico (IO). Dentre as que menos aderem, estão a Faculdade de Direito, a Faculdade de Educação Física e Esporte (EEFE), o Instituto de Psicologia e a Faculdade de Educação. Gallottini afirma que foi feito um levantamento com as 42 unidades da USP, constatando-se que apenas cerca de 25 possuem associações de ex-alunos. “A ideia é, em novembro, promover uma reunião com todos os presidentes de associações de ex-alunos, para ouvir um pouco essa comunidade externa, atraí-los para a base, e mostrar justamente que o nosso objetivo não é competir com essas associações, mas sim trocar informações”, afirma a coordenadora.

Texto publicado no Jornal do Campus (Matéria completa: clique aqui).