Alunos da Poli desenvolvem tecnologia inovadora para seleção de mudas de eucalipto

Projeto conquistou Prêmio Santander de 2015 na categoria Empreendedorismo. Estudantes estão formatando empresa para comercializar o produto.

Os alunos da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP) Fernando Antônio Torres Velloso da Silva Neto, Fernando Paes Lopes e Henrique Oliveira Martins desenvolveram uma seletora de mudas de eucalipto que poderá ser empregada pela indústria de celulose e papel, importante segmento da economia brasileira. Segundo dados de 2012 da Associação Brasileira de Papel e Celulose (Bracelpa), o país era o quarto produtor em celulose e o nono em papel naquele ano.

De olho nesse mercado, eles criaram uma máquina que faz seleção visual de mudas de eucalipto, utilizando a tecnologia de reconhecimento óptico digital. As mudas são separadas de acordo com os critérios de qualidade como a vitalidade das folhas e cores. São inseridas ainda no invólucro preto, na forma como são acondicionadas nos viveiros. A seletora passa pelas mudas e faz a leitura das qualidades do caule e das folhas, escolhendo as mudas saudáveis, separando-as das demais.

O protótipo está em funcionamento e foi apresentado no projeto que os alunos inscreveram para concorrer ao Prêmio Santander, na categoria Empreendedorismo. Eles venceram a premiação e vão receber R$ 100 mil para investir na continuidade do projeto. Até o momento, o grupo está incubado no InovaLab@Poli, um laboratório multidisciplinar que oferece recursos avançados para projetos de engenharia, como softwares, hardware, impressoras 3D, oficinas mecânica e eletrônica para alunos de graduação da Poli e da USP como um todo. Fernando Velloso e Fernando Lopes são alunos do Departamento de Engenharia Mecatrônica e de Sistemas Mecânicos (PMR) e acabaram de se formar. Já Henrique Martins está no quinto ano e é do Departamento de Engenharia Mecânica (PME).

O trabalho foi desenvolvido sob a orientação dos professores André Leme Fleury, do Departamento de Engenharia de Produção (PRO) da Poli, e Gilberto Martha Souza, do Departamento de Engenharia Mecatrônica (PMR) da Poli. “Hoje, esse processo de seleção de mudas é feito manualmente, um trabalho repetitivo e pouco qualificado em uma fase importante do processo de produção de celulose”, destaca o professor Fleury. “A implementação dessa tecnologia acelera a produção e pode liberar o trabalhador para posições mais qualificadas, como, por exemplo, para operar a seletora”, acrescenta.

Além do mérito inovador, essa tecnologia representa também um avanço em termos de ensino, já que ela nasceu dentro de uma nova disciplina existente na Escola Politécnica, chamada Criação de Negócios Tecnológicos, realizada em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV). “É um grande exemplo de como podemos utilizar o ecossistema, unindo o conhecimento teórico e prático, desenvolvimento de tecnologia e de modelos de negócios, em um ambiente propício para o empreendedorismo, como é o InovaLab, para dar uma formação ampla aos nossos engenheiros”, ressalta Fleury. A disciplina foi desenvolvida em parceria com o professor Eduardo Zancul, também do Departamento de Engenharia de Produção da Poli, e os docentes da FGV Tales Andreassi e Adriana Miguel Ventura.           

Próximos passos – O InovaLab vem dando suporte ao projeto há dois semestres. “Com isso, conseguimos racionalizar os custos e manter a proximidade com a universidade, que é fundamental para continuarmos o desenvolvimento da tecnologia”, explica Fernando Velloso. Segundo ele, os recursos serão aplicados totalmente na formalização e desenvolvimento da empresa que estão criando para comercializar o produto. Eles deverão, inclusive, contratar dois estagiários nesta fase inicial. “Precisamos agora trabalhar para transformar o protótipo em um produto comercial, que atenda as necessidades de mercado, e já estamos em contato com alguns players para realização de testes”.

A selecionadora para eucaliptos é o produto inicial, mas a tecnologia pode ser usada em outras cadeias produtivas do agronegócio. “É aplicável a todos os processos que envolvam produção de mudas”, explica. Segundo ele, já existem tecnologias semelhantes para a fruticultura, como seletoras de laranja e maça, mas não há similares para a seleção de mudas, como eucalipto e cana-de-açúcar, por exemplo.

Ao participar do Prêmio Santander, eles tiveram de desenvolver não só o protótipo, mas o plano de negócios. “Nossa ideia é ter uma empresa focada no desenvolvimento de soluções mecatrônicas que aumentam a produtividade e eficiência do agronegócio”, comenta. A equipe está avaliando a possibilidade de ir para uma incubadora e, no momento, já está conversando com grandes players do mercado para fazer parcerias para o desenvolvimento e testes do protótipo em escala comercial.

Texto elaborado pela Assessoria de Comunicação da Poli-USP

PRO Indica: A divulgação da ciência, tecnologia e inovação na USP

No dia 11 de novembro, o Observatório da Inovação e Competitividade (OIC) do IEA promove o debate Como a USP Divulga sua Produção em Ciência, Tecnologia e Inovação. Aberto ao público, o evento acontece na Sala de Eventos do IEA, das 14h30 às 17h, com transmissão ao vivo pela web.

Durante o encontro, as jornalistas Mônica Teixeira e Hérika Dias irão discutir como o conhecimento produzido pela Universidade é repassado à sociedade e como é possível ampliar a divulgação da pesquisa produzida na USP. A mediação será do professor da Escola Politécnica (Poli) da USP e coordenador do OIC, Mario Salerno.

Mônica Teixeira é diretora e apresentadora da Universidade Virtual do Estado de São Paulo (Univesp) e responsável pela implantação do programa de divulgação científica da USP. Hérika Dias é jornalista da Agência USP de Notícias, uma das mídias da Superintendência de Comunicação Social (SCS) da USP voltada para a divulgação das pesquisas da universidade.

Mais informações: http://www.iea.usp.br/eventos/como-a-usp-divulga-sua-pesquisa

PRO disponibiliza publicação de seminário sobre inovação na pequena e média empresa

Estão disponíveis, em versão digital, os anais do 3º Seminário Internacional de Inovação na Pequena e Média Empresa, evento organizado pelo grupo de pesquisa Economia da Produção e Engenharia Financeira (EPEF) em conjunto com o núcleo de pesquisa Redes de Cooperação e Gestão do Conhecimento (REDECOOP), ambos coordenados pelo Prof. Dr. João Amato Neto (Departamento de Engenharia de Produção da Poli/USP).
Com a participação de pesquisadores de renome internacional e formuladores de política industrial e estratégias empresariais, o seminário, realizado em novembro de 2014, promoveu um fórum de exposições e debates em torno da inovação e da gestão das redes de cooperação, dos distritos industriais, clusters e arranjos produtivos locais, das políticas públicas e dos programas de cooperação internacional para estas organizações-chave do desenvolvimento econômico sustentado em inovação tecnológica e institucional e em inclusão social produtiva.
O evento e a publicação contaram com o apoio de importantes parceiros, como: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), Fundação Vanzolini, Associação Brasileira da Indústria Têxtil e Confecção (Abit), Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), Programa de Internacionalização da Indústria da Moda Brasileira (Texbrasil), Associação Brasileira de Engenharia de Produção (ABEPRO) e Núcleo de Política e Gestão Tecnológica (PGT-USP).

Link: http://pro.poli.usp.br/wp-content/uploads/2015/10/Livro-III-SIIPME.pdf

Workshop de Inovação 2: Seu Voo – Individual por Opção

Os participantes do workshop compartilharão opiniões sobre como voar pode atender às expectativas de diferentes viajantes. Em grupos pequenos, vocês elaborarão propostas que permitem uma experiência individualizada de viagem aérea para cada passageiro ou grupo.

Mash-up de Inovação

Depois de quatro dias no campus explorando o tema inovação com os alunos, pesquisadores e professores na USP, os Inovadores Airbus convidam você a explorar os tópicos mais quentes da semana, incluindo os mais recentes desenvolvimentos da Airbus em impressão 3D e a coinovação Bag2Go. Esta sessão altamente interativa será sua chance de chamar a atenção dos Inovadores para seus próprios tópicos, então não perca o Mash-Up!

Workshop de Inovação 1: Seu Voo – Adaptação às Necessidades dos Passageiros

Grupos pequenos compartilharão opiniões sobre situações desafiadoras que os passageiros podem encontrar ao voar com crianças, animais de estimação, problemas médicos ou mobilidade reduzida, por exemplo. A partir daí, os participantes desenvolverão protótipos de arranjos para permitir a mesma experiência de voo para todos.

O Futuro pela Airbus – Webinar Global Interativo

Descubra a vasta gama de inovações usadas para construir aeronaves atualmente; saiba como inovadores profissionais enfrentam os desafios de criar aviação sustentável para o futuro; faça suas perguntas diretamente a Gary e Gregor, Inovadores da Airbus, em nosso exclusivo webinar global interativo.

Este evento é aberto a alunos da USP e estudantes e professores em todo o mundo online.

Airbus Innovation Week na Universidade de São Paulo – de 10 a 14 de março – Inscreva-se agora!

O curso de Design da FAU USP e o PRO, em parceria com a Airbus, promovem a Innovation Week de 11 à 14 de março. A realização do evento, a cargo da Airbus, é parte do prêmio concedido aos alunos do curso de Design – Caio Alonso, Henrique Corazza, Leonardo Akamatsu, Luis Adriano Furtado e Marcos Philipson, que venceram o concurso Fly Your Ideas em 2013.

O projeto vencedor foi desenvolvido nas disciplinas PRO 2718 – Projeto e Engenharia de Produto e AUP 2408 – Projeto do Produto, ministradas pelos professores Fausto Mascia (PRO) e Robinson Salata (FAU) respectivamente.
O evento terá palestras, workshops e visitas a laboratórios ao longo da semana.

Saiba mais